Como utilizar a técnica Pomodoro para otimizar a concentração?

Sempre quis escrever um daqueles artigos em que o redator diz que se colocou em uma experiência inusitada por uma semana (ou mês) e conta os resultados. O mais longe que eu cheguei até agora foi este artigo.

Vou te contar sobre a minha experiência em utilizar o método Pomodoro para melhorar a concentração. Prometo que algum dia conto uma aventura mais empolgante, mas o que está falando mais alto hoje é meu o lado nerd.

O que é a técnica Pomodoro?

A técnica Pomodoro foi criada pelo italiano Francesco Cirillo nos anos 80, quando precisava aumentar o rendimento dos seus estudos na universidade. Por isso, começou a monitorar o tempo de trabalho utilizando um timer. Fato curioso: o relógio tinha o formato de tomate (pomodoro em italiano).

Para realizar a técnica Pomodoro, você precisa anotar as tarefas que deseja realizar e o tempo que vai levar para concretizá-las. Tendo isso definido, você trabalha durante quatro ciclos de 25 minutos, intercalados com pausas de 5 minutos. Ao final, você pode fazer uma pausa maior, entre 15 e 30 minutos.

            Resumindo:

            – 4 ciclos de 25 minutos.

            – Intercalar os ciclos com 3 pausas de 5 minutos.

            – No fim, pausa de 15 a 30 minutos.

Como você vai se sentir utilizando a técnica pela primeira vez

   Se você se parece comigo, vai ser mais ou menos assim:

  • No início está tudo bem, você está com a concentração elevada. Tudo flui até que seu celular apita e você é obrigada a parar e descansar por cinco minutos. Com as ideias a todo vapor, isso pode ser um pouco frustrante.
  • Difícil é levar a pausa a sério. Pausa para quê? Vou beber água ou ao banheiro? Quem sabe, checar o whats ou conversar com alguém, mas não existe conversa boa que dure cinco minutos.
  • O alarme. Depois de três ciclos, a vontade é de esmurrar o celular. O meu pior erro foi usar o mesmo som do despertador. O trauma agradece.

O lado bom:

Você se acostuma e vai aprendendo a conciliar o método com o seu próprio ritmo. A primeira vez foi um fracasso como você pode perceber. Entretanto, já vivi o suficiente para entender que não basta julgar depois experimentar. Sempre é necessário testar mais um pouco, porque as primeiras impressões podem ser muito enganosas.

            Depois de alguns dias, o método se tornou um dos meus favoritos por um motivo principal: o controle do tempo.

Para pessoas perfeccionistas, ter a noção de quanto tempo se leva para completar uma tarefa é fundamental para não se enrolar com coisas que deveriam ser fáceis de resolver.

 Sabe aquela autossabotagem de querer ficar pesquisando e pesquisando antes de realmente começar a tarefa?

 Isso acontece muito comigo. Por isso, aliar o método Pomodoro com algumas outras táticas que eu já utilizava, como desmembrar uma grande tarefa em metas menores, tem ajudado muito.

Você pode utilizá-lo em praticamente qualquer atividade. Para exemplificar, vou explicar o uso no meu dia a dia para escrever artigos.

Como utilizei o método Pomodoro para escrever artigos?

 Se o blog tem 1000 palavras e o tema não é muito complexo, um ciclo inteiro de Pomodoro resulta em um artigo bem formulado e revisado.

Antes de tudo, colo um post-it do lado do mouse, desmembrando a grande tarefa de escrever um artigo em pequenas metas:

  • Pesquisar o tema
  • Estruturar tópicos – introdução, desenvolvimento e conclusão.
  • Redação #1 – escrever o artigo todo, do início ao fim, sem parar para julgamentos.
  • Redação #2 – voltar ao início do artigo e otimizar parágrafos.
  • Revisão #1 – primeira revisão completa do artigo, com direito à reescrita de partes com falta de coesão e coerência.
  • Revisão #2 – segunda e última revisão do artigo, com muita atenção a aspectos ortográficos e gramaticais.

Evito utilizar mais passos do que estes, ou acabo dando ouvidos demais ao perfeccionismo e travo em uma tarefa que não deveria levar mais de duas horas para ser realizada. É válido também ressaltar que, em geral, deixo a segunda revisão para o dia seguinte. Assim, o texto já passou por um período de cura e a minha mente também descansou para prestar atenção a erros que facilmente passam despercebidos.

Para saber mais, leia este artigo sobre 4 técnicas para aperfeiçoar a sua escrita de conteúdo.

Sendo assim, ligo o timer do Pomodoro assim que vou realizar a primeira tarefa e vou dando check assim que termino cada uma. Como disse, quando o artigo não é muito complexo, finalizo a tarefa ou chego à segunda revisão pronta para concluir o Pomodoro e fazer uma pausa de 30 minutos para o próximo trabalho.

Criatividade e organização são grandes aliados.

Apesar de o senso comum ainda relegar o processo criativo ao caos e ao talento, sabemos que para colocar os projetos na rua precisamos de muita disciplina e consistência.

E, você? Usa alguma técnica para aumentar a produtividade? Adoraria saber mais sobre como você faz para melhorar a concentração.

2 comentários em “Como utilizar a técnica Pomodoro para otimizar a concentração?

    1. Entendo! Também tinha essa dificuldade, o que dificultava a minha organização. A técnica Pomodoro pode ser boa para descobrir isso. Por exemplo, dá para desenvolver uma tarefa do seu dia a dia enquanto o timer está rolando. Quando terminar, dá pra avaliar com mais clareza quanto tempo levou :)

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s